Get Adobe Flash player

Voz da noite - (30ª Reflexão )

Agora a pouco abri a janela e olhei para minha cidade, é muito grande e bonita! Mas não sei dizer de fato até onde vai essa grandiosidade em beleza. Notei que onde deveria existir o verde há concreto onde a natureza deveria reinar num conjunto grandioso conosco há asfalto, calçadões e gente tresloucadas a procurar por algo. Vão e vem num frenesi alucinado por uma felicidade aparente e se apegam a costumes tais como bebida, fumo, drogas... diversão barata. E dizem: - Sou feliz!

Como Deus é bom! Levantei mais um pouco o olhar e vi um céu azul e senti uma brisa refrescante tonificar metade de mim na janela; o vôo seguro das aves em derredor a um pequeno bosque ainda preservado tirou-me um sorriso leve e confortador. Vi que meu desejo infundo no belo é mais forte e não relacionei a criação Homem/Deus, este último é mais nobre!

Hoje ouvi o "Dalai Lama" dizer que a felicidade começa dentro da gente e que a reformulação do homem parte de si.

 
Banner