Get Adobe Flash player

Os riscos do motociclismo

Durante uma viagem de motocicleta, longa ou curta, muita coisa pode dar errada. Ao convidar um parceiro ou uma garupa para a aventura não podemos garantir que tudo sairá perfeito, sem chuvas, buracos nas estradas, facilidade na hospedagem, problemas mecânicos e tudo mais que pode acontecer...
Moto é realmente um meio de transporte perigoso, sabemos disso.
Com minha experiência, nesses últimos 50 anos, afirmo que o perigo maior da motocicleta está no trânsito no centro das cidades ou naquele momento bobo em que a usamos para ir à academia ou a padaria perto de casa, momentos de pilotagem sem muita atenção, e normalmente menos equipados. Esse é o perigo.
Quando rodamos seja na BR 116 ou nas rodovias retas e desertas da Argentina, pela maior atenção, equipamentos e respeito/limitação, torna-se muito mais difícil ocorrer um acidente.
Viajar de motocicleta é inesquecível, por todos os componentes envolvidos, pelo aprimoramento individual, pela liberdade, pelas paisagens, interação social, emoções, alimentação diferente, e tudo mais que uma viagem envolve. Nem por um segundo devemos/podemos nos distrair ou arriscar, confiando em demasiado na potencia do motor, equilíbrio da moto ou em nossa capacidade de pilotar – nesse momento pode acontecer o susto...
Posso garantir que sempre faço o máximo para apoiar meus companheiros de viagem, garantir segurança a minha garupa, preservando minha integridade física sem nos colocar em risco, por isso estou a mais de 30 anos sem qualquer acidente.


Autor: Otavio Araujo – “Gugu” - 69 anos, motociclista há 53 anos. Administrador de Empresas e Empresário no setor da Construção Civil.

 

 


 
Banner