Gobierto del Perú Bolivia, tierra de los andes Turismo en Ecuador Colombia em seu desenvolvimento Por onde o mundo atravessa com o progressoTurismo e desenvolvimentoTurismo en Nicaragua Onde os Maias deixaram seu legado Turismo em El Salvador Conheça suas pirâmides milinares Turismo en México Turismo nos Estados Unidos Pais dos Caribus e do gelo
Get Adobe Flash player

Maceió a Aracajú, 27 de Janeiro de 2012.

Depois que almocei me deu uma vontade louca de dormir. A comida estava muito boa! Descansei uns 30 minutos e roda na estrada.
Senti o cansaço bater. O incômodo da dormência na bunda começa a me irritar. Mas fingi que nada daquilo estava acontecendo e curti a estrada a paisagem.  Lá pelas 3 e meia mais ou menos minha cabeça começou a doer. Ainda bem que Aracaju estava perto.

Meu desejo era dormir somente em Feira de Santana. Faltando alguns quilometros para Aracaju avistei um placa: "Pousada do Gaúcho", não deu outra parei nesta mesma! Para descer da moto foi uma tortura. A cabeça dóia, o corpo chorava, a bunda ardia, e não tinha roda nem 1/4 da viagem. A primeira coisa que fiz foi tomar 1 litro e meio de água numa sentada. Muita sede. Fique ali no bar da pousada um pouco "tantam" e meio desorientado até que me aminei e pedi um quarto. Subi e me joguei literalmente na cama do jeito que cheguei tirando apenas o capacete. E eu dormi até às 9 da noite. Acho que acordei porque estava com sede. Mas ai eu tomei um banho, relaxei vi um pouco de tv e dormi novamente.

O mal estar tenho certeza absoluta que foi falta de preparo físico. Rodei tão pouco, para os padrões de estradeiros, que era até ridiculo eu reclamar. Físico à parte a motocicleta também tem sua contribuição. O banco estreito faz com que somente a metade da bunda, de ambas, fique no banco a outra parte parece que fica pendurada. Então ela adormece, acorda, adormece novamente e por vai. O vento que vem de frente bate no seu peito e você e tem que fazer uma certa força contrária, principalmente quando um caminhão em sentido contrário joga o vento emcima da gente então haja força e falta parabrisa. Mas tem um porém, confabulei comigo mesmo, os fabricantes fazem motos para um certo uso, a gente quer colocá-la conforme nosso gosto. A XRE 300 não foi feita para viagens longas, talvez média e olha lá! Não tem conforto para este fim. Mas como não posso, por ora, ter outro modelo, vai esta mesma. Agora aguente!!!!

Alegria da Viagem


 

 

 

 
Banner